VAGNER DONASC, LVDO: daora, há tempos e ainda por muito tempo.

Vagner é um desses cara que você quer ficar amigo de cara. É “afetado” somente pelas coisas boas da vida, aquelas que valem à pena. Em contra-senso ao estereótipo dos artistas hypados, diria que é um dos caras mais humildes que conheço, e o objetivo aqui é dar essa moral, mesmo.

Carioca da Zona Norte, rueiro nato, skatista fissurado e sempre com uma caneta à mão. Vagner, antes do Nascimento e agora Donasc, já assinou um modelo da linha SB da Nike em 2007, assim como diversos outros produtos para outras marcas. Já participou de várias expos coletivas, como o Art Rua em 2011. E pintou a Ipanema Wall da Redley em 2012.

Redley_Ipanema-Wall_Vagner-Donasc

Sua marca registrada sempre foram seus personagens “boladões”, intercalando traços orgânicos finos e “fats” em fundos geométricos chapados, dentre outros elementos. Instável e ritmado. Como não associar ao background musical desse fela(ska, reggae, etc e tal)?! Ele tocava em uma banda que não me lembro o nome. O som era bom, diga-se de passagem.

Sem caô, nem subjetividade ele quebra tudo e se reinventa em LVDO. Nova fase do artista que mistura diversas técnicas, numa estética bruta para um discurso crú.

O Artista misturou diversas técnicas e processos. Tais como raspar a tinta fresca na tela, na intenção de borrar a imagem, mostrando que nem sempre as coisas são como parecem ser, ou são ditas. Fica pra mim a reflexão no sentido da renovação e reinvenção diária de nós mesmos. “E agora José?”

donasc_vagner_LVDO_painting_tela

donasc_vagner_LVDO

Outro processo é a colagem de revistas antigas, mais especificamente Manchete, mais precisamente da década de 70. Em “Magazine” Vagner rasga os textos deixando apenas as imagens(não é tudo?!), deixando à vista um mosaico de infinitas camadas. É uma escultura, um aglomerado denso que pode embaralhar a visão, mas não engana o leitor, nem mesmo nas entrelinhas. Ele rasgou.

Vagner_Donasc_magazine

Os Ramones anunciaram “Wanna be sedated“, e hoje quem não quer?! Vagner faz referência ao uso indiscriminado de remédios controlados/ tarja pretas da vida, ante-depressivos e afins em “Super Dosagem”. Esculpe com dobras grampeadas de caixas de remédio, formando um mosaico de cores vivas e estética minimalista, como nunca ví no trabalho dele antes.

super-dosagem-LVDO-vagner-donasc

Confiram também o vídeo teaser, e não deixem de ir conferir as primeiras obras de LVDO que estão em exposição na Homegrown em Ipanema e também no Cassino Atlântico em Copacabana.

david_luiz_thumb_nike_ouse_ser_brasileiro
O que significa o tão demonizado termo "jeitinho brasileiro"?! Há quem repudie, há quem pratique em demasia. Mas é unânime e notável, não podemos negar que todos nós temos na veia. Se nasceu ou foi criado no Brasil, o indivíduo…
arcadefire
Arcade Fire é minha banda preferida da atualidade, ao lado do (extinto) LCD Soundsystem. Conheci-os em 2005, no TIM Festival, quando eles lançavam o álbum Funeral. O show foi ... catártico, como bem definiu Tom Leão. Uma mistura de muitos…

Formado em 2006 pelo IFF em Design Gráfico, Sérgio Barbosa não se limitou à sua área de formação acadêmica, também já trabalhou como designer de moda e gestor de projetos de co-branding, licenciamento e mídia indoor na empresa Reserva. Como empreendedor criou o site de arte e humanidades deli, e também o selo de sportwear BRAVO F.C., cuja proposta é: aproximar as pessoas das suas paixões. Através de projetos de licenciamento de clubes de futebol de menor expressão, para desenvolvimento e comercialização de linhas de produtos premium. Um sonhador, romântico inveterado, deveras apreciador do bom uso da palavra, assim como das artes em suas diversas aplicações, dentre todas as outras formas de amor.